Uma das atividades mais exploradas e antigas no mundo é a pecuária, responsável por garantir parte da proteína que se encontra na alimentação do ser humano. No Brasil, as produções iniciaram com a chegada dos primeiros bovinos no período da colonização. Com o passar dos anos, o aprimoramento das técnicas e melhoramento genético deram espaço para outras inovações.

Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras, em 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) da pecuária aumentou sua representatividade no PIB total, passando de 8,4% para 10%, evidenciando a força do setor na economia brasileira.

No Tocantins, a pecuária ainda se apresenta com baixos índices produtivos e reprodutivos, colocando o estado na 11ª colocação, inerente ao ranking de efetivo rebanho. Entre os fatores relacionados, destaca-se falta de conhecimento sobre as técnicas intensivas de produção de bovinos e o mau manejo do pastejo o que pode ocasionar também a degradação do ecossistema.

Nesse contexto, o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em “Produção Intensiva de Bovinos de Corte” do Cento Universitário Católica do Tocantins (UniCatólica) foi idealizado para contemplar uma demanda latente por um profissional que atenda o novo cenário de um mundo globalizado. Às novas exigências mercadológicas, técnicas de produção que impactem menos sobre o sistema de produção. Além disso, a especialização busca também promover a interdisciplinaridade nas áreas de atuação do Zootecnista, através das metodologias ativas e de aplicações práticas de estudos inovadores, promovendo a busca de novas tecnologias.

Público alvo

Profissionais com formação superior em Zootecnia, Agronomia, Medicina Veterinária e áreas afins que pretendam se qualificar para atuar no mercado ou que já atuam na área e necessitem de reciclagem, preparando-se para o mercado da produção de intensiva de bovinos de corte.